O Sonâmbulo Amador – José Luiz Passos

Capa O sonambulo amador.indd

Alguns conflitos não resolvidos, ou acontecimentos retornam sempre a lembrança das pessoas, mesmo que já resolvidos – ou vividos. Isso é o que acontece com Jurandir, o personagem central do livro O Sonâmbulo Amador de José Luiz Passos, Jurandir trabalha em um prédio chamado Verdão, um dia o personagem tem que ir a Recife, em uma viagem de trabalho, mas no meio do caminho ele perde o controle de seus atos e ateia fogo ao carro da empresa, e vai parar em uma clínica psiquiátrica em Olinda, onde, a pedido do médico do local, passa a registrar suas memórias, sonhos e reflexões em quatro cadernos.

Nestes cadernos Jurandir registrava os acontecimentos e a vida na clínica, mas, além disso, os pensamentos e lembranças do personagem sempre retornam para alguns mesmo temas; o seu casamento com Heloísa, a sua convivência com seu filho, um acidente na infância que deixou Jurandir manco para o resto de sua vida, o período pós-acidente no qual passou dias na casa do seu amigo Marco Moreno, e por fim seu relacionamento com sua colega de trabalho e por vezes amante Minie.

Dentro do livro a linearidade passa a ser distorcida, de modo que mesmo no presente Jurandir relembra, e por vezes acrescenta algum detalhe, que vai dando corpo, e forma, para deixar cada uma destas histórias completas, o autor usa de um artifício bem simples para puxar estas lembranças para dentro da trama que se passa no presente;  o personagem contando ao enfermeiro Ramires, ou a outra interna Madame Góes sua vida antes de vir parara ali.

Acrescente a isso tudo o fato de Jurandir também narrar seus sonhos, que são uma variação das suas memórias, de forma menos lógica e muito mais onírica, como obviamente deve ser os sonhos, o que parece é que só poderia resultar de um livro muito bom, correto?  Errado! Os conflitos do personagem são extremamente comuns; casamento em ruínas, o primeiro filho, o choque que geração com a colega de trabalho.

Junte a isso o fato de que a cada vez que o personagem relembra de um dos temas recorrentes do livro ele passa a acrescentar detalhes tão pequenos, que não foi nem capaz de me fazer arquear levemente a sobrancelha diante das novas informações do contexto, e para garantira cereja do bolo Jurandir faz parte de uma espécie bem comum na literatura brasileira atual, a espécie que não enriquece, não tem rompantes de fúria, e menos ainda atitude alguma perante as situações, traduzindo o que foi dito é um personagem bundão, incapaz de atrair minha atenção ou carisma, pela sua constante falta de ação.

Estes detalhes me fizeram arrastar a leitura por mais dias que o previsto, é um livro morno, nem pega velocidade, nem para de vez, o que me deixou com uma forte tentação de abandoná-lo antes de chegar à última página.

Anúncios

Uma resposta em “O Sonâmbulo Amador – José Luiz Passos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s