O Jardim dos Finzi-Contini – Giorgio Bassani

O_JARDIM_DOS_FINZICONTINI_1251551520B (1)

 

O que existe na literatura de livros com o tema uma caso de amor que eu vivi que me marcou pelo resto da vida não está escrito, ou melhor está sim e as pencas, e por mais que o amor seja lindo, em muitos casos das narrativas deste gênero ele não é o suficiente para sustentar toda uma trama completamente interessante e madura.  Então qual a justificativa apara eu ter escolhido como leitura O Jardim dos Fizi-Contini, que é um livro que trata deste mesmo tema? Simples; o fato de eu querer conhecer a literatura italiana, por eu ser descendente de italianos.

A história se passa em 1938, na cidade de Ferrara e tem como centro da sua narrativa a família Finzi-Contini que é composta pelo Dr Ermano, sua mulher Olga, sua sogra e seus dois filhos Alberto e Micól.  Eles compõem uma espécie de aristocracia da cidade, que se mantém alheio e alienados as condições antissemitas da época. Envolvido com esta família está o protagonista que nos conta sobre a família juntamente com a sua paixão por Micól e o desenrolar dela.

Ele passa a frequentar a família quando são unidos pelo sentimento de antissemitismo da época que cria na casa do Finzi-Contini uma espécie de micro clube para encontro de alguns amigos. O fato de eles estreitarem relação por serem judeus não quer dizer em momento algum que a família Finzi-Contini mantenha relações com todos os judeus da cidade, pelo contrário eles vivem isolados e em geral parecem não se dar conta da época em que estão vivendo e mesmo assim se mantém extravagantes e adotam posturas de alienamento ante a realidade, indo desde não encarar a doença do filho como algo que pode ser mortal, ou até mesmo não saírem do seu suposto pedestal mesmo frente a todo o antissemitismo disseminado pelo fascismo que domina  aquela época.

O que descrevi anterior são os pontos diferenciados do livro, agora vamos aos pontos que eu considero como sendo os fracos: 1 – a paixão do narrador por Micól segue linhas clichês do tipo Micól é diferente dos resto das moças, sendo adorável em muitos aspectos e também inteligente.  Ele suspeita dela, e vê ambiguidade várias coisas que ela faz, e depois se arrepende. 2- existe trechos que são muito descritivos, e nada tenho contra descrições desde que seja interessante, o que não é o caso.

Se por um lado o Jardim dos Finzi-Contini não é uma narrativa imperdível e marcante, por outro lado o livro tem seus momentos interessantes e sabe ser bem equilibrado, seja na sua carga emocional, seja no foco narrativo que não se perde ficando exclusivamente na mulher amada. A ambientação histórica também é um ponto importante dentro do livro. Não considero o livro ruim, pelo contrário dentro da sua estrutura existem mais pontos positivos do que negativos, porém acredito que poderia ser trocado o excesso descritivo, pela falta de um dinamismo maior na narrativa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s