À Noite Andamos em Círculos – Daniel Alarcón

_NOITE_ANDAMOS_EM_CIRCULOS__1399673907B

Eu não gosto de livros em que o clima, ou personagens, são decadentes, talvez seja por este motivo que não gostei do À Noite Andamos em Círculos, do autor peruano, mas que vive nos Estados Unidos, Daniel Alarcón. Ou talvez seja pelo fato do livro não ter nenhum personagem cativante, pelo clima narrativo que é sempre o mesmo ou por algum outro motivo do qual eu posso achar facilmente quando não gosto de determinado livro, o fato é que eu não gostei dele e só agora entendo o porquê de ele ter passado quase batido por aqui, a não ser pelas menções que ele recebeu, devido ao fato do seu autor ser um dos convidados da FLIP de 2014.

Em À Noite Andamos em Círculos a ação se passa em u país latino americano, do qual nunca é dito o nome, neste país existe um grupo de teatro experimental chamado Diciembre que fez muito sucesso durante a década de 80, com sua peça O Presidente Idiota, esta peça tem como ideia central uma crítica sobre os políticos daquele país, mas o principal ator do grupo, Henry Nuñez, é preso e acusado de terrorismo e durante muitos anos o grupo se torna uma lenda e passa lentamente a ser esquecido, mas  não para um  fã obcecado por esta companhia de teatro, ele se chama Nelson.

A vida de Nelson está completamente fora dos eixos, vive somente com sua mãe após seu pais ter morrido, anos antes da morte do pai o irmão de Nelson foi para os Estados Unidos e prometeu leva-lo para morar lá, mas está promessa se arrasta por anos sem que seja cumprida, e no começo da narrativa Nelson acabou de terminar com sua namorada. A oportunidade de dar uma guinada em sua vida surge quando os ex intrigantes do Diciembre, agora composto somente por Henry e seu amigo Patalarga, decidem voltar a se apresentar e estão em busca de um novo ator, para refazerem um turnê pelo interior do país apresentando a peça O Presidente Idiota.

O que me irritou profundamente no livro é que ele é narrado a todo momento indicando que o final só poderá ser uma fatalidade, como se os personagens não fossem livres em relação ao seu fim,  mas o engraçado é que quando não se trata  do fim deles, ai eles tem  outras escolhas, isso ajuda a criar um clima de todo mundo é coitadinho, vítima da vida e das situações, nada contra, mas quem não sofre ou sofreu na vida que vá ler Alarcón e ter compaixão dos seus personagens,  que em sua maioria são maciços, levam tudo como uma noção de fardo.

E é neste tom fatalista que a história corre ao longo de 315 páginas, com um clima morno ou muitas vezes sufocante, pois não é só Nelson que se encaminha a um triste fim, e aqui uso triste por praxe já que não sou a favor de personagens coitadinhos, sem atitude alguma para com a sua própria vida. E é justamente o fato de todos se encaminharem para um desfecho ruim que faz o livro não ter qualidade, o autor parece ter tido preguiça de criar personagens ou situações diferenciadas, dando a impressão de que o seu livro é só uma variação sobre gente decadente e a incapacidade de que todos tem de ser feliz, resultando é um livro chato, que tenta prender o leitor pela compaixão, está, da minha, parte não houve.

Talvez o que mais choque o leitor seja a visão clichê do autor; um país latino americano que passou por uma guerra civil, e após ela ninguém que vive neste país tem expectativa de sucesso ou felicidade e está fadado a ser na vida toda somente uma vítima. Esta visão na mão de um estrangeiro até seria normal, mas não na mão de quem nasceu em um destes países americanos, e se tudo aqui se mostra falido, o romance do autor não fica para trás neste quesito, sendo chato e desinteressante.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s