Este é o meu corpo – Filipa Melo

ESTE_E_O_MEU_CORPO_1302094509B

Há anos que um livrinho fino e com vários tons de azul na capa estava na minha estante. Eu já tinha a sensação de que iria gostar deste livro, mesmo antes de lê-lo, ou de que no mínimo iria pensar um bocado sobre ele, afinal a grande maioria de quem o leu acabou gostando dele.  E eis que finalmente um dia eu decidi que   chegou a hora dele, claro que após a leitura meu único arrependimento foi ele ser tão pequeno.

Em uma pequena cidade, durante uma noite de chuva, um corpo é encontrado morto e revirado do avesso, a única certeza que se pode dizer sobre ele é que é o corpo de uma mulher. A polícia e um legista são chamados, e é na figura do médico legista, um dos narradores, que será um dos focos principais, juntamente com a da história daquele corpo, e de Eduarda, sua dona, em especial os últimos momentos que a levaram até a mesa do legista.

Mas é claro que a narrativa não se reduzirá a Eduarda, ou ao legista, ao contrário, desta que seria uma simplificação, Filipa escolheu por criar um mosaico usando um leque de personagens que faziam parte da vida de Eduarda; o seu pai, o assassino, o colega de trabalho que a amava, mas nunca lhe confessou tal amor.

Ao dar voz a um legista Filipa consegue fugir da normalidade e criar um médico que é sensível e nada frio, que é   como costumam ser retratados os médicos. O contraponto vem na própria narrativa; apesar da narrativa poética e extremamente bela a estrutura do romance em si é friamente calculada e exata, ela consegue criar personagens convincentes e que no final se convergem em torno da figura de Eduarda, mas sem que exista ali excessos, ela narra somente o necessário, ou seja os momentos a partir do qual Eduarda passa a fazer parte da vida destes personagens e qual os rumos tomados após a morte dela.

O livro em si não chega a ser um livro policial, é mais um romance psicológico, que a partir da morte sonda   as vidas de seus personagens. Ao contrário dos livros policiais aqui a morte não é uma banalidade onde o que importa é o culpado, em Este é o meu corpo, o que está em jogo são os efeitos; primeiros os efeitos que levam um ser humano a matar o outro, e após isso os efeitos que uma morte violenta causa na vida de quem fica, a dor, a tragédia e todo o turbilhão que passa a envolver quem fica e tem que lidar com a situação.

O lado belo deste livro é que nem tudo que se refere a Eduarda na trama está marcado pela morte, ao contrário disso a personagem não é só um corpo na mesa de autópsia, quando é narrado os momentos em que ela está viva, temos uma personagem forte e interessante, e é após   a morte dela que o seu pai encontra um novo rumo para sua vida, e como lidar com uma “parte” da filha que restou, e talvez seja necessário este pequeno choque da realidade  na vida do pai, para que ele se lembre, mesmo que por meio do susto, que ainda continua vivo.

Anúncios

5 respostas em “Este é o meu corpo – Filipa Melo

  1. Esse livro me marcou muito… agora pergunto, onde está a resenha daquele livro de capa amarela que você acabou de ler? Você não postou a resenha no FB?

  2. É , o blog está relativamente atrasado, eu devia te-lo posto em ordem está semana, mas aqui de dia está frio de noite a temperatura desce mais um pouco, ai já viu né ? procrastinei, acho que esta semana saí sem falta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s